News

Thrice - São Paulo

Publicado em 25/08/2018


Com o Fabrique abarrotado de fãs ansiosos e que já antecipavam que aquela seria uma noite pra realizar um sonho a muito tempo aguardado, a trilha sonora de faixas de bandas como Pennywise, Dead Kennedys, Goldfinger e Anthrax foi responsável por aquecer os ânimos dos presentes.

Até que por volta das 19h20, Dustin Kensrue (vocal e guitarra), Teppei Teranishi (guitarra), Eddie Breckenridge (baixo) e Riley Breckenridge (bateria) entraram no palco para a explosão da pista em êxtase que via os seus ídolos frente a frente pela primeira vez.

Assim como no Rio, o Thrice abriu o show com a intensa “Hurricane”, faixa que também inicia o último disco do grupo, o excelente To Be Everywhere Is To Be Nowhere. A música foi cantada em uníssono nos refrães pela plateia e também foi seguida na dobradinha com a mais agressiva “Silhouette”, acompanhada por “Of Dust and Nations” e “All The World Is Mad”, do álbum Beggars. Após diversas musicas em seu setlist aos gritos apaixonados da torcida organizada do Thrice presente no Fabrique (“Olêê, olê, olê, olêê, Thricêêê, Thricêêê”) o grupo saiu do palco para o bis, e retornou seguindo o protocolo de clichês da primeira vez no Brasil: com Teppei, Eddie e Riley devidamente uniformizados com a camiseta da seleção brasileira de futebol, o que fez a plateia prontamente esquecer de qualquer tropeço futebolístico recente contra a Bélgica e começar a gritar e aplaudir. Dustin foi o único que não vestiu a camiseta, mas começou a última leva de músicas do show encoberto pela bandeira nacional.






Fotos por Stephanie Hahne / Dan Oliveira